Rua Dr. Bolívar de Abreu, 130 – Bento Ferreira, Vitória – ES, 29050-685   |   27 3225.3145   |   27 9.9774.6502

A relação dos professores e as competências socioemocionais

A preocupação com o aspecto socioemocional do aluno está presente na proposta pedagógica da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Ou seja, toda organização educacional, deve estar adequada a esses princípios.
É sabido que o desenvolvimento de competências socioemocionais tem um papel definitivo na formação intelectual de uma pessoa, já que ter essas habilidades significa estar apto a lidar com emoções, objetivos e relações sociais no dia a dia. Nesse contexto, é possível aprender mais e melhor.
Essas competências, também chamadas de não cognitivas, estão em uma etapa anterior à aprendizagem. A preocupação, aqui, é a formação de um cidadão socialmente responsável, com maturidade para compreender o seu papel no mundo, e mais disposto a buscar sucesso em seu desenvolvimento pessoal e profissional.
No cotidiano da escola, a ação dos educadores é, normalmente, com vários alunos simultaneamente, cada um deles com características emocionais, valores e atitudes próprias. Fazer a mediação de tantos relacionamentos simultâneos não é simples.
Todos, no interior da escola vivenciam suas emoções e desafios em meio às suas ações. Dessa forma, devem promover uma convivência mais empática e construtiva entre os sujeitos.
Creditar apenas ao conhecimento técnico a chave para uma boa formação do aluno se mostra cada vez mais equivocado. Há muitos profissionais, com grande conhecimento específico, que não conseguem se firmar em suas áreas porque têm dificuldades em interagir com colegas e com alunos.
Segundo Eduardo Shinyashiki, Mestre em Neuropsicologia e Liderança Educacional, em palestra no 9º Congresso Educacional das Escolas Particulares, “a escola é um espaço onde possamos desenvolver o universo das emoções e a educação passa a ser exatamente a fonte, o alicerce maior para que o aluno possa se fortalecer internamente”.
O profissional da educação, nesta perspectiva, precisa conjugar o interesse dos alunos, de suas famílias e dos colegas, à luz do projeto da escola, para alcançar as metas de aprendizagem a que se propõe.
Ter na equipe professores que também entendem sua ação de forma global e que almejam o desenvolvimento integral do aluno, colaboram para a qualidade da escola. Além disso, pessoas equilibradas, que lidam bem com suas emoções, têm empatia por outras pessoas, tornam o clima da escola melhor, alimentando um círculo virtuoso de aprendizagens significativas.